O Centro Histórico de São Sebastião é uma verdadeira joia arquitetônica possuindo diversas edificações do Sec. XVII. Passear nas ruas é como voltar ao tempo.

São Sebastião foi uma das primeiras cidades da costa brasileira a ser povoada. Elevada à categoria de Vila em 1636, possui muitas construções significativas pelo Centro Histórico.

Em 1603 e 1609, com a doação das terras localizadas em frente à Ilha de São Sebastião (Ilhabela) aos sesmeiros, foi cedido um terreno ao santo padroeiro local para ser erguida uma capela. Ainda no século XVII, a igreja foi construída com pedra, cal de conchas e óleo de baleia, em estilo jesuítico com composições renascentistas, moderadas e regulares, imbuídas do espírito severo da Contrarreforma. O frontão reto, triangular, mostra a transição entre o Renascimento e o Barroco, e a capela-mor – mais estreita – é o modelo mais comum no Brasil colonial.

No final dos anos 90 o prédio começou a apresentar problemas estruturais nas colunas e paredes que acabaram por interdita lo. Foi elaborado um projeto de restauro e realizada uma grande obra que teve inicio nos anos 2000. O projeto teve por objetivo trazer de volta a fachada do prédio de 1819, a recuperação dos madeiramentos estruturais como as colunas da nave, telhado, elétrica, troca da esquadrias, restauro dos altares laterais e reconstituição do altar mor . A pintura foi realizada a cal pigmentada nas cores encontradas após pesquisa arqueológica .

As peças são de terracota, pintadas, e representam o primeiro período da igreja. Das seis imagens encontradas, quatro estão em bom estado de conservação e são passíveis de restauro – uma delas, a de Santa Luzia, está datada – 1652. As outras imagens são: uma Nossa Senhora com menino, um Santo Antônio e um santo “Bispo”, ainda desconhecido. Também foram encontrados fragmentos de um Cristo crucificado e de uma imagem de São Sebastião. Atualmente, essas imagens sacras encontram-se na Capela de São Gonçalo, onde funciona o Museu de Arte Sacra.

Fonte: Portal de Turismo de São Sebastião

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *